Quais cuidados preciso ter com meu pet no verão?

O verão deste ano chegou com temperaturas especialmente altas. Os cães e gatos, além da pelagem mais intensa, que mantém o calor próximo ao corpo, ainda têm dificuldade em dissipar o calor do organismo, por não possuírem glândulas sudoríparas, como os seres humanos - isso significa que cães e gatos praticamente não transpiram! O mecanismo através do qual eles conseguem eliminar o excesso de calor do corpo envolve a respiração - por isso eles ficam mais ofegantes em dias quentes! Algumas estratégias podem ajudar nossos pets a aproveitarem bastante o verão, apesar destas dificuldades que eles tem em lidar com o calor.

1) Posso tosar meu pet no verão?
Pode, e deve! Os pêlos mantém o calor ao redor do corpo, e o simples ato de manter a pelagem mais baixa durante as épocas mais quentes do ano já pode trazer bastante conforto para o seu animalzinho.

2) Estimule seu pet a beber MUITA água!
E para isso existem diversas possibilidades, não coloque limites em sua criatividade! Espalhe diversas vasilhas com água fresca (troque ao menos 1 vez por dia) pela casa, coloque fontes de água (muitos pets preferem beber água em movimento do que parada), adicione pedrinhas de gelo na água (alguns pets AMAM!), ofereça alimentos ricos em água, como frutas, patês e sachets. Outra dica muito legal é fazer picolés saudáveis para o seu cachorro! Congele pedaços de frutas e ofereça a ele, além de nutritivo e refrescante, se torna um brinquedo incrível!

3) Escolha os horários mais frescos do dia para passear
O exercício físico nas caminhadas aumenta ainda mais a temperatura interna do organismo, por isso passear em horários quentes seria uma má escolha. Além disso, nos horários mais quentes do dia, o chão pode estar com temperaturas tão altas que existe o risco de as patinhas do cão se queimem! Durante o verão, fique ainda mais atento para os limites do seu cão, interrompendo a caminhada assim que ele começar a mostrar sinais de cansaço!

4)Vai levar seu pet para a praia? Proteja-o contra o verme do coração!
Nas regiões litorâneas existe o risco de cães e gatos contraírem, através da picada de um mosquito, a Dirofilaria, popularmente chamada verme do coração. Este verme pode causar doença cardíaca grave, por isso a prevenção é essencial! Hoje em dia existem diversos medicamentos para a prevenção, desde vermífugos a pipetas contra ectoparasitas - converse com o médico veterinário do seu pet para definirem qual a melhor opção para ele!

5) Cuidado com os vilões da estação: os carrapatos!
As épocas mais quentes do ano são quando os carrapatos se reproduzem em maior quantidade, portanto, converse com o médico veterinário do seu pet para definirem o melhor preventivo contra carrapatos. Os carrapatos não causam apenas o incômodo da coceira, mas podem transmitir doenças graves, as "doenças do carrapato" babesiose e erlichiose! Por isso, NUNCA espere seu pet pegar carrapatos para agir, sempre atue prevenindo!

6) Cuidado especial com cães braquicefálicos (focinho chato)
Os cães das raças shitzu, lhasa apso, e os buldogues são os principais representantes do grupo de braquicefálicos. Devido ao focinho curto, esses animais tem mais dificuldade de eliminar o calor através da respiração, e por isso correm maior risco de desenvolver um problema grave associado ao calor, a intermação. Trata-se de um superaquecimento do organismo que pode levar à morte em minutos. Por isso, se você tem um cão braquicefálico, esteja ainda mais atento durante os dias muito quentes. Jamais passeie com seu cão em horários de altas temperaturas, interrompa o passeio assim que ele mostrar sinais de cansaço (ofegancia excessiva, parar de caminhar, se deitar no chão), ofereça bastante água para beber e jogue um pouco de água sobre ele, para reduzir o calor. Nos casos graves, o cão pode ficar desorientado, perder a consciência, apresentar convulsões, vômitos, hemorragias, dificuldade em respirar, língua roxa - se o seu cão apresentar qualquer desses sintomas, leve-o ao veterinário IMEDIATAMENTE, trata-se de uma situação de emergência.

7) Cães e gatos de pelagem branca apresentam maior risco para câncer de pele
Evite que seu pet se exponha ao sol por várias horas seguidas - mantenha as janelas fechadas entre 10 e 17 horas, providencie canil sombreado, etc. Além disso, é possível aplicar protetor solar especifico para animais, solicite a prescrição ao médico veterinário do seu pet! A preocupação com o câncer deve acontecer ao logo de todo o ano, e não apenas no verão!

8) Se o seu pet é um apaixonado por água, deixe-o aproveitar!

Providencie bacias com água para que ele se refresque! Banhos de mangueira também podem fazer a festa de alguns animais. Os principais cuidados com a água são garantir que ao final do dia o animal esteja seco, para evitar o risco de proliferação de fungos e bactérias na pele úmida e para aqueles cães que nadam em piscinas fundas, monitorar sempre, devido ao risco de afogamento! Por mais que o cãozinho saiba nadar, se acontecer algum imprevisto ou se a piscina estiver com um pouco menos de água que o costume, ele pode ter dificuldades em sair dela.

E você e seu pet, têm alguma outra forma de aproveitar o verão juntos? Compartilhe com a gente!

Sílvia Trindade médica veterinária    Sílvia Trindade é médica veterinária especialista em clínica médica de cães e gatos pela UFMG e mestre em ciência animal pela UFMG.









Elefante Delivery Medicamentos Veterinarios Pet Shop Farmácia Veterinária Belo Horizonte